quinta-feira, 23 de agosto de 2012

A amada e o Amado.


A alma humana é o lugar onde Deus encontra suas delícias.

Ela é a amada e Deus o Amado!

Toda alma teve seu encontro com Deus na eternidade. No amanhecer da vida a presença do Amado é forte e quente, consome e delira.

Mas no entardecer a saudade esmaga os ossos da carne e causam dor na alma da amada. O Amado então socorre sua cegueira e mostra-lhe onde se consuma o amor dos apaixonados.



Súplica da Amada:

Procuro ardente o meu Amado.

Onde estás Sol da Justiça que não sinto mais seu dardejado?

Lembro-me dos dias quentes, onde seu calor me consumia,

Dos delírios reluzentes com o Sol do meio dia.

Lembro-me das manhãs serenas em que te esperavas apontar na Aurora,

A saudade me excitava e as noites curtas em sonhos iam embora.

Onde estás oh meu amado! Procuro-te por trás das nuvens.

Sinto sua presença, mas quero o seu calor.

A noite escura e fria já chega novamente.

Dura mais do que o dia e me gela o coração.

Sinto saudades de meu Amado, de vê-lo abrir as flores do campo.

De vê-lo acariciar meu rosto com o vento, fecundar minha alma com a chuva.

Transformar meu pranto em canto.

 

Resposta do Amado.

Oh minha amada, ouço seus gemidos.

Porque entristeces tua alma e temes a noite escura?

Abra as portas e deixe entrar a noite minha amada.

Na escuridão da vida dou-lhe o cálice Sagrado, em segredo uno-me a ti.

Já não precisas ver-me como outrora, somos um!

Eu e tu minha amada, escondidos no labor de seus sacrifícios.

Eu e tu abrasados no mistério do incompreensível.

Abra as portas e deixe entrar a noite minha amada.

Cearemos e faremos juntos a refeição,

na noite escura da vida, ofertaremos nossa oblação,

e já não seremos dois mas um só coração.

Abra as portas e deixe entrar a noite escura.

Dissiparemos toda a neblina, o céu se encherá de estrelas,
 
E fugirá de tua alma toda a secura.

A beleza da lua iluminará sua beleza,

 e a lembrança do dia será apenas saudade sadia.

A noite descerá os seus encantos e então seremos Um.

Abra as portas para a noite minha amada,

Pois é nela que se encontram os apaixonados.

quinta-feira, 16 de agosto de 2012

Viagem à Fonte


Queridos amigos.
Nas ultimas semanas li um livro que gostei muito.
Tenho procurado bastante por livros sobre o autoconhecimento, principalmente o Eneagrama Cristão.
Tudo começou quando vi uma citação de São Serafim que dizia: “encontras a paz interior e uma multidão será salva ao seu lado”. Lembrando que a paz interior é um estado da alma de conhecimento profundo de si e consequentemente de Deus, possível apenas aos humildes.
Como o Peregrino Russo que se inquietou com o Versículo 17 da quinta carta aos Tessalonicenses, também me senti impulsionada a procurar tudo que me remetesse a uma viagem interior, e encontrar a paz dada por Cristo, não a paz que o mundo oferece, mas a paz que vem de estar em Deus.
São Francisco de Assis chamaria esta paz de "A Verdadeira Alegria".
Já no finalzinho do livro li uma poesia e senti muita vontade de partilhar com todos. Porque senti que ela é um resumo lírico do que o autoconhecimento pode fazer em nossa alma.
O livro é do Padre Domingos Cunha e se chama Eneagrama, sua dose diária. A poesia escrita abaixo se encontra na página 242.

Viagem à Fonte

Dentro de ti há uma águia dormindo querendo voar,

Dentro de ti há um tesouro escondido querendo brilhar.

Dentro de ti há um jardim esquecido querendo florir.

Dentro de ti tem criança chorando querendo sorrir.

Dentro de ti há uma fonte calada querendo jorrar.

Dentro de ti tem um sol abafado querendo surgir.

Deixa o silêncio acordar o amor que em ti está dormindo.

Deixa o amor germinar as estrelas que habitam teu ser.

Deixa a verdade quebrar as amarras que estão te oprimindo.

Deixa que o Deus que habita teu centro te faça viver.

Solta as águias que querem contigo aprender a voar.

Abre os porões onde moram as sombras, que o sol quer entrar.

Rasga caminhos no rumo do centro onde Deus te habita. Busca no fundo do poço a fonte que a vida suscita. Para e cala, aquieta e deixa o silêncio falar.

Deixa que abrase teus olhos o fogo que em ti crepita.

Busca e abraça a criança que um dia deixaste na estrada, quando as máscaras foram cobrindo a essência sagrada. Deixa que a sede de Deus te conduza e te faça viver. Abre caminhos de volta pra casa e vai renascer.

Deixa que essa criança, encontrada, aceita e amada, solte a criança feliz que é imagem de Deus, teu ser.
Desejo de coração que seja disperto em sua alma uma saudade, um desejo profundo de encontrar-te consigo mesmo.
Paz e Bem!